Arquivo da tag: formas de tratamento

Mach mal Süden!

Seja na literatura, no jornalismo, nas letras de música, ou numa simples certidão de nascimento, um texto contém sempre uma carga de informação cultural que pode ser importante para o tradutor. Até mesmo as formas de tratamento usadas na correspondência oficial podem ser um indício de valores culturais. Na Alemanha, por exemplo, era comum terminar as cartas com um formalíssimo Hochachtungsvoll. Mas isso até pouco mais de 20 anos atrás. Hoje em dia, até notificações oficias da Justiça despedem-se do destinatário com um simpático Mit freundlichen Grüßen – mesmo que o pobre coitado que segura o ofício nas mãos tenha acabado de ser intimado pelo juiz a pagar uma multa de mil euros. Irônico ou não, o fato é que a linguagem mais simples usada nos documentos oficiais é também um resultado das mudanças ocorridas numa sociedade que procura ser menos burocrática.

Pessoalmente, o que me fascina são as campanhas publicitárias. A carga de informação cultural sintetizada em um slogan é algo que muitas vezes me parece realmente intraduzível, ou pelo menos não sem prejuízo do tempero cultural.

Um bom exemplo disso é a propaganda de Orangina que se vê atualmente nas estações de metrô em Stuttgart. A história da Orangina, uma marca de refrigerante com sabor de laranja, começou na Argélia, nos anos 30 do século XX, passando pela Espanha. Mas foi depois da guerra, nos anos 50, que a bebida tomou conta dos cafés franceses e tornou-se sinônimo do estilo de vida mediterrâneo: sol, mar, gente bonita, férias.

No mercado alemão, a bebida só começou a ser comercializada em grande estilo a partir de 2006. Até então, a bebida só era encontrada nos bares mais descolados. Para ter nas mãos uma garrafa de Orangina a qualquer hora, ou comprá-la em supermercados, os alemães tinham que atravessar a fronteira rumo ao sul. E é com essa imagem que a nova campanha trabalha. Uma garrafa cheia de Orangina sob o título Sonnenaufgang (sol nascente), outra já quase vazia com o título Sonnenuntergang (sol poente).

Ver o sol nascer

Ver o sol nascer

Ver o sol se por

Ver o sol se por

Provavelmente seria possível usar esses cartazes em outros países, traduzindo a mensagem (alguma sugestão?) e transmitindo a mesma ideia de sol, férias e boa vida. Mas é o slogan da campanha que me parece genial e feito sob medida para a Alemanha, e talvez para os países da Escandinávia. Ele está no cantinho à esquerda das fotos ao lado, ou pode ser visto também aqui. Mach mal Süden!

Já é um pouco difícil traduzir a expressão Mach mal, bem coloquial. Algo como um Faz aí!, dependendo do contexto. Mas a associação de Süden (sul) com sol, calor e férias é algo que só os habitantes do norte europeu podem entender. A frase remete também às expressões Mach mal Urlaub (Tire umas férias – talvez uma possível tradução para o slogan) e Mach mal blau (algo como tirar um dia livre, matar o trabalho, ou as aulas), esta usada também em parte da campanha. Ou seja, três palavrinhas transmitem aqui todo um universo de fantasias que povoam a cabeça dos alemães, maltratados por longos invernos e invejosos das calçadas ensolaradas à beira do Mediterrâneo. Uma mera garrafinha de Orangina é mais que a promessa de férias no bar da esquina. É o sonho de que a Floresta Negra se transforme na Riviera francesa. Agora, traduzam isso!?

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Alemanha, Publicidade